AFRO-BRASIL RELUZENTE

Estudioso da cultura negra, Nei Lopes reúne em livro perfis de 100 afrodescendentes que ajudaram a construir a história do Brasil

Afro-BrasilReluzente: 100 personalidades notáveis do século XX
De Nei Lopes
456 páginas
R$ 59,90
Editora Nova Fronteira

Os perfis de 100 personalidades afrodescendentes que, com seu trabalho, ajudaram a construir um Brasil mais forte e diverso compõemAfro-Brasil Reluzente, o novo livro do superpremiado músico, escritor e pesquisador Nei Lopes. Lançada pela editora Nova Fronteira, a obra busca dar visibilidade ao notável talento dos negros em nosso país, destacando em seus capítulos nomes do século XX.

Passeiam pelas páginas do livro representantes da arte, do esporte, da ciência, da política, da religião e de outras tantas áreas do saber. Abdias Nascimento, Cartola, Conceição Evaristo, Elza Soares, Elisa Lucinda, Gilberto Gil, Glória Maria, Marielle Franco e Pelé são apenas alguns deles. A seu lado, surgem personagens mais invisibilizados, mas não menos importantes, como Enedina Alves Marques, a primeira negra a se formar em engenharia no país, em 1945.

“O objetivo [deste livro] é contribuir para que a população afro-brasileira desenvolva de forma plena sua consciência, no caminho do conhecimento e da compreensãode sua identidade étnico-racial”, explica o autor. “E isso para que conheçamos adequadamente nossa realidade passada e presente, pois só assim reconquistaremos a identidade perdida por nossos ancestrais históricos na inenarrável travessia do Atlântico.”

O lançamento deAfro-Brasil Reluzenteconvida os leitores a mergulhar nas valiosas histórias daqueles que, mesmo no ambiente adverso do racismo estrutural, conquistaram reconhecimento e hoje servem de inspiração a tantos outros.

NEI LOPES, afrodescendente nasci¬do no subúrbio carioca em 1942, é escritor e compositor de música po¬pular, além de bacharel em direito e ciências sociais pela Universidade do Brasil, atual UFRJ. Desde 1981, já publicou quase 40 títulos de di¬versos gêneros, como romances, contos, ensaios, poesia e dicioná¬rios, e foi reconhecido com conde¬corações importantes, como o Prê¬mio Jabuti, duas vezes; a Ordem do Mérito Cultural do Governo Federal (2005); e a Ordem de Rio Branco (2013).

Por sua obra de compositor, com mais de 350 títulos gravados desde 1972, recebeu prêmios como Troféu Golfinho de Ouro, Prêmio da Música Popular, entre outros. Em 2015, foi aplaudido pela crítica tea¬tral do Rio de Janeiro e de São Paulo pela trilha sonora do musical Bilac vê estrelas, de Heloisa Seixas e Julia Ro¬meu. No ano seguinte, foi agracia¬do, na categoria Música, com o 28.º Prêmio Shell de Teatro, o Troféu Bibi Ferreira e o Prêmio APTR, da Associação de Produtores de Teatro do Rio de Janeiro, além de ter con¬quistado o Prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *